As vantagens do carro elétrico Sono Sion, coberto por um painel solar

07.06.21 09:00 Comentário(s) Por Diego Freire

Mesmo em um mar de startups de carros elétricos, a Sono Motors consegue se destacar.


A empresa com sede em Munique pretende construir um compacto urbano coberto por células solares, voltado principalmente para o mercado europeu. O projeto tem sido em grande parte financiado coletivamente — mais recentemente, com uma rodada de sucesso de US$ 58 milhões de aportes. 


Em uma parceria internacional, o carro será produzido pela chinesa NEVS da China em uma planta em Trolhättan, na Suécia, onde foram produzidas gerações de Saabs.


E outros parceiros vêm, ainda, de outras partes: a Sono também está trabalhando com a finlandesa Valoe Oyj para componentes solares, a alemã ElringKlinger para os sistemas de baterias, e a Continental para componentes de unidade, além de fazer muito do trabalho de desenvolvimento por conta própria. Isso inclui alguns “primeiros” trabalhos " a serem feitos na gestão da energia escorrendo em taxas diferentes dos módulos solares do Sion.


Até agora, os carros solares instalaram suas células em grande parte na mesma área — o telhado. Afinal, as células solares só produzem seu pico de energia quando o sol está diretamente sobre a superfície, e atingindo o painel em um ângulo de 90 graus. 


Ter células solares em toda a estrutura externa, porém, pode tornar essa captação de energia ainda mais eficiente, criando ângulos nos quais pelo menos um dos painéis está perto do pico, mesmo que outros não estejam.

ESTRUTURA DE CÉLULAS SOLARES

Essa colcha de retalhos cria problemas. Conectar as células solares não é tão fácil quanto parece — especialmente quando, como a Sono pretende, você integra essas células em vários pontos da estrutura do veículo.


"Nem todas as células geram a mesma quantidade de energia, porque nosso fornecedor de energia, o sol, se move constantemente", explicou o especialista em eletrônica de energia fotovoltaica da empresa em um post no blog da companhia. "Além disso, nem todas as células solares no Sion apontam na mesma direção."


Para atenuar esse problema, os desenvolvedores criaram uma unidade central de rastreamento de ponto de máxima potência para ajustar a carga em módulos solares individualmente, fazendo com que as células desse módulo possam chegar ao nível otimizado. Com a nova unidade, o Sion converte para tensão da bateria de alta tensão, entre 300 e 400 volts, em um único processo que visa reduzir as perdas.


Até agora, a Sono está reivindicando uma eficiência de 94% para este conversor. Sempre que possível, a construtora pretende expandir os testes em Munique, usando simuladores para ajustar o sistema a condições potenciais de luz e temperatura.
Veículo elétrico e solar Sono Sion

LONGAS DISTÂNCIAS MOVIDO A RAIOS SOLARES

E os números também são otimistas quando a Sono estima o que o veículo é capaz de gerar a partir do sol: segundo os cálculos da companhia, o veículo pode rodar até 5.700 quilômetros movido pelos raios solares, ou uma média diária de pouco menos de 16 quilômetros durante todo o ano.


Esse número pode ser ampliado ou reduzido dependendo da época do ano e do nível de sobra de nuvens, é claro. Em Munique, na Alemanha, por exemplo, estima-se até 33 km por dia. 


Para ajudar a planejar a maximização dos benefícios da energia solar, a Sono planeja oferecer ferramentas preditivas baseadas em dados meteorológicos e na localização do carro.


No Sion, as células solares são embutidas em polímero claro em vez de vidro, o que, segundo a empresa, as torna 20% mais leves que os painéis metálicos comparáveis — além de capazes de produzir mais energia por área (até 220 watts por metro quadrado) do que as fotovoltaicas flexíveis ou de vidro já existentes no mercado.


A Sono planeja usar células prismáticas NMC 622, com 12 por módulo e um total de 16 módulos em embalagem resfriada com água de 35 kwh. No passado, a Sono apresentou a possibilidade de alugar ou comprar o pacote separadamente do resto do veículo, para ajudar a manter o preço baixo.


A empresa planeja produzir seus primeiros veículos na linha no final de 2021, com início oficial de produção e primeiras entregas a partir do início de 2022.
Estrutura do Sono Sion, coberto por painéis solares
Compartilhar -