No Mobisul, CEO da NeoCharge fala sobre Independência Energética e Mobilidade Elétrica 

27.04.22 09:00 Comentário(s) Por Diego Freire

MobiSul - Congresso Internacional de Mobilidade Elétrica
O conceito de independência energética é normalmente associado à capacidade de gerar eletricidade própria por meio de fontes como painéis solares. No entanto, durante o 4º MobiSul – Congresso Internacional de Mobilidade, realizado entre os dias 26 e 29 de abril, em Florianópolis (SC), o CEO da NeoCharge, Diogo Seixas, mostra que é possível fazer ainda mais pela autossuficiência, produzindo energia solar para alimentar a casa e até para abastecer um carro elétrico.

Um dos mais importantes eventos do calendário sobre a temática, o MobiSul reúne exemplos de soluções em mobilidade elétrica do Brasil e de outros países. Diogo Seixas marca presença no Workshop VE (Veículos Elétricos), no dia 28 à tarde, representando a NeoCharge, líder em infraestrutura de recarga para carros elétricos. Em sua palestra, ele aborda como é possível ter total independência energética para viver e para se locomover. 


“Com os painéis solares pode-se evitar parcialmente, ou até totalmente, a dependência da energia elétrica distribuída pela rede tradicional. O sistema também é capaz de carregar veículos elétricos, dispensando o uso de combustíveis fósseis. Faço isso na minha casa — sou prova viva de que é possível ter independência energética total”, pontua. 

Diogo Seixas também palestra como integrante do Conselho Diretor da ABVE (Associação Brasileira de Veículos Elétricos) na pasta de Infraestrutura no dia 27, à tarde. O evento é gratuito e terá versão presencial e online. 


Independência Energética: Economia e Sustentabilidade

Muito já se comenta sobre os benefícios ambientais do uso de energias renováveis (como a fonte de energia solar) e do aumento da frota de veículos elétricos, que emitem menos gases poluentes. Em sua palestra, porém, Diogo Seixas chamará a atenção também para outro aspecto menos difundido sobre essas tendências: a redução de gastos.

 

No caso do carro elétrico, um dos principais ganhos está relacionado ao custo de abastecimento, muito menor do que no caso dos veículos a gasolina, especialmente em meio à alta do preço do petróleo em todo o mundo. 

 

Com um cálculo simples, é possível comprovar que o quilômetro rodado com energia elétrica é muito mais barato para um automóvel: o gasto médio anual para abastecer com gasolina (rodando 15.000 km por ano, com um consumo hipotético de 10 km/L e preço de R$ 7,10/L) é de R$ 10.650. Já o gasto médio para abastecer com eletricidade (considerando a mesma quilometragem rodada, em um consumo hipotético de 8 km/kWh e preço de R$ 0,86/kWh) é de R$ 1.612 por ano. Uma economia de 85%, ou R$ 9.038.

E os benefícios também são muitos para quem gera a própria energia solar para uso doméstico, prática conhecida como geração distribuída (GD). Esse tipo de geração representa economia na conta de luz e pode proporcionar também o armazenamento de energia em baterias como backup, possibilitando que uma casa tenha eletricidade mesmo se houver queda de luz em sua região.

Região Sul é referência em mobilidade elétrica e energias renováveis 

A região Sul é uma das mais avançadas do País nas discussões sobre mobilidade elétrica e geração de energia solar. Diogo, que mora em Florianópolis (SC), explica que Santa Catarina está entre as lideranças na condução de eventos e ações para fomentar o crescimento desse mercado. 

 

Santa Catarina assumiu recentemente, durante a COP26, o compromisso de reduzir pela metade as emissões de carbono até 2030 e atingir a neutralidade até 2050. Esse trabalho já vem sendo realizado há alguns anos, em cooperação com referências em geração de energia solar, como a Alemanha, com a construção de uma mega usina na sede da Eletrosul, uma das maiores em um prédio público brasileiro. 

Outro exemplo dessa cooperação é a criação de uma rede de treinamento em energia fotovoltaica em todo o País, iniciativa desenvolvida a partir de articulação catarinense. Em mobilidade elétrica, o Estado possui o projeto ‘Desenvolvimento de tecnologia nacional para implantação de infraestrutura de recarga para veículos elétricos’, que instalou dezenas de eletropostos, os chamados corredores elétricos. 

 

“O Brasil tem tudo para ser uma das maiores potências no que se refere à geração de energia solar e mobilidade elétrica. E Santa Catarina é um caso de sucesso para o País. Como CEO da NeoCharge, quero mostrar que é possível ter um futuro mais verde, sustentável e economicamente viável a partir do mercado de mobilidade elétrica. E incentivar a independência energética é um desses caminhos”, finaliza. 

Diego Freire

Partilhar -